sábado, 20 de julho de 2013

Filhas da Natureza

 Ela andava pelas árvores como se elas fosse uma parte perdida dela.
 Cada toque era como um sopro de compreensão da natureza que a irradiava.
 A partir daquela noite, ela não pertencia mais a este mundo, ela pertencia a uma mundo onde só haviam garotas.
 Se tornou uma delas, cultas, mas inocentes, dóceis, porém selvagens, lindas, não para si, não para os outros, para a natureza. 
 Eram quatro clãs: Verão, garotas loiras de olhos azuis, o aroma da brisa do mar sempre as rondando e emitiam um calor de suas peles bronzeadas. 
 Primavera, com seus cabelos ruivos e olhos verdes elas podem sempre ser encontradas fazendo as flores crescerem, sempre com o cheiro de terra molhada e suas peles de uma cor clara, andam pelos campos com lindos vestidos de cores vivas
 As garotas Inverno não são comunicativas como as Verão, nem alegres como as Primavera, mas sim frias e duras como pedras, com inimaginável astúcia. cabelos louro-branco e olhos violetas, são velozes como o vento.
 Gaia era uma filha do outono, quietas, dóceis e com inteligência incomparável, vestem cores claras e não são vistas com tanta frequência emmeio a grupos, geralmente se encontram nos campos secos ou em suas fortalezas nos mais altos pinheiros. Cabelos louro-dourados sempre ao vento e olhos pretos marcantes fazem delas as mais desconhecidas, diferentes e excêntricas Filhas da Natureza.
 Acordou nua, no escuro, parecia que estava dentro da madeira, submersa em alo líquido que começou a jorrar para fora junto com ela. Nasceu de uma árvore.
 Foram passando anos e anos e ela não crescia.
 Era sempre aquela criança de aproximadamente doze anos, fazia os seus serviços habituais levando consigo, em sua alma, o Outono. 
 Mergulhava cada vez mais nos segredos de seu clã.
 Em seu aniversário de três mil anos ela foi nomeada a guardiã do segredo de seu linhagem de irmãs. 
 Quando soube não aguentou a tentação. Contou para suas irmãs o que tinha visto e els fugiram.
 Correram e guerrearam por mais de mil anos  e finalmente chegaram ao fim do mundo, uniram seus poderes  e viajaram por terras desconhecidas na forma de animais selvagens. Ela se transformou em uma coruja, a Primavera era uma borboleta, Inverno, um lobo albino e o verão uma gaivota.
 A princípio, pensaram que tinham chegado ao mesmo lugar de onde tinham fugido mas depois perceberam que tudo era igual, menos os habitantes, que não era filhas, mas sim Filhos da Natureza. Ao verem o olhar de quatro garotos representando os quatro clãs, viram horror em seus olhos e perceberam que para eles também era errado o simples fato de pensar em clãs de sexos opostos. 
 Porém todos os oito, filhos e filhas, foram de encontro uns aos outros. Seis morreram,.
 A garota outono e o garoto inverno se tocaram como nunca haviam tocado algo antes e não resistiram ao que viram...

Um comentário:

  1. Da natureza o filho é dono sempre de fascinantes poderes. Muito bom!

    ResponderExcluir